Tim Maia – Ela partiu

Hoje trago uma música sensacional, do Tim Maia.

Acredito que pra muitas 90s kids como eu, o Tim Maia pode correr o mesmo risco que o Jorge Ben, que é lembrarmos/ conhecermos só as músicas mais cafonas e mais populares dos anos 1980 e 90, mesmo tendo MUITA coisa boa perdida pros anos atrás.

Essa música é soul em todos os aspectos: instrumental, vocal, na letra, é demais. É daquelas que depois que você aprende a letra, você só canta muito alto, de olhos fechados olhando pra cima, hahaha.

Curtam Ela Partiu, de data incerta pelas minhas pesquisas, mas a mais acurada me parece ser 1974:

Essa música é tão boa e com uma balada tão icônica, que virou sample pra música também ótima e pesada, com letra emocionante dos Racionais Mc´s , Homem na estrada. Acho importante falar que essa música do Racionais é de 1993, e a crítica dela é tão atual, que parece que foi lançada esse mês.

Acho importante  e um pouco indispensável deixar aqui esse vídeo sensacional do Tim tocando bateria ao vivasso. É uma pena que tem pouquíssimos vídeos de apresentações ao vivo dele no youtube.

Embora tenha poucas apresentações ao vivo dele, tem muitas entrevistas maluconas e legais. Recomendo assistir se você gosta dele!

Anúncios

Ella Fitzgerald – Sunshine of your love

“Que? Não, pera. Sunshine of your love não é do Cream?” – Sua cabeça, nesse momento.

Sim meu jovem.

Essa música é do Cream. Ou melhor, era.

  • Brinks, a gente zoa, mas a do Cream é boa também. Vamo deixar o Eric Clapton ser feliz sim.

Mas agora escuta a primeira dama da música cantando, e esqueça que algum dia o Cream já cantou Sunshine of your love.

Sério, olha os instrumentos de sopro substituindo a guitarra. É muito bom.

Eu sou tão fã da Ella, que ela só perde pros Beatles na quantidade de discos na minha coleção. Tenho ela ao vivo, em estúdio, cantando Tom Jobim, de dupla com o Louis Armstrong, cantando Porgy&Bess, sucessos da década de 40, de 50, de 60, cantando Beatles. Tem alguma dúvida que cada um desses discos dá um post?

A Ella é na minha opinião uma das maiores performers que já existiu. Ela faz umas improvisações excelentes ao vivo. Conversa com a plateia (normalmente no ritmo da música), troca palavras da letra original, altera melodias, reclama de fatos aleatórios no meio da apresentação, e né, faz covers incríveis de músicas famosas.

Olha ela ao vivo no festival de jazz de Montreal de 1969. Aqui ela tinha 52 anos, aceite:

Quando disse que ela “reclama” no meio das apresentações, é sempre com muita educação, mas eu sempre acho O MÁXIMO. Simplesmente O MÁXIMO MESMO.

Olha ela nessa apresentação de Blue Moon, em que ela canta perfeitamente no ritmo da música:

“Now it´s a pitty / What they ask us to sing/ This request…. And so we try our best… To prove that we are not/ That we are not afraid/ To sing a number 1 hit in the hit parade/ They say “If you can´t beat them, join them” / Ando so we did…and so we did/ But it´s a pitty, to take pretty pretty tune, like Blue moon, and mess up such a pretty tune…like this!”

Traduzindo toscamente:

“Veja só, é uma pena/ Quando eles pedem pra gente cantar/ Essa música… Então nós vamos tentar o nosso melhor… Pra provar que nós não/ Que nós não temos medo / De cantar uma música número no 1 nas paradas de sucesso/ Eles dizem “se você não pode vencê-los, junte-se a eles…” / E assim nós fizemos…/ Mas é uma pena, pegar um som bonito, igual Blue moon, e bagunçar tanto um som tão bonito…desse jeito!”

Tenho em um disco ela cantando My satin doll ao vivo, e no começo ela canta “ O que aconteceu com o meu microfone???? Obrigada!!!” . Eu sempre adoro, mas não achei nenhum vídeo no youtube com essa.

E já que me empolguei e postei a Ella fazendo covers incríveis, pega ela cantando nada menos que Hey Jude dos Beatles (fazendo coração com a mão infinito, até a próxima encarnação)

Provavelmente vou postar mais muitas vezes sobre a Ella Fitzgerald. Já falei que gosto bastante?