The smiling hour – Sarah Vaughan

Manny years ago, when I was only starting as a tiny vinyl collector, I very quickly became madly in love with Ella Fitzgerald and other characters that always seemed to be left asides in record shops and thrift stores.

One of them was this fantastic gal, none less than “The divine one”, miss Sarah Vaughan.

Miss Sarah sang from 1942 to 1990. How’s that of a career for you? That means that with almost 50 years of singing, Sarah gifts us with many different phases of her voice and many different styles of singing and rhythms throughout the years. And that makes me love her even more.

In a certain point of her life, Sarah has become very much in love with Brazil. She toured numerous times there, and in the 70s recorded the album “I love Brazil” with brazilian stars Milton Nascimento, Dorival Caymmi and Tom Jobim. That album was a Grammy nominee.

In 1981, Sarah released the brazilian-influenced album entitled Copacabana, home to our song for the day, The smiling hour.

Just to show some more of Sarah’s tropical love, her last album to ever be recorded is entitled “Brazilian Romance”, produced and arranged by the brilliant brazilian pianist Sergio Mendes. 

 

Enjoy this pretty tune, The smiling hour:

 

The Smiling hour is an english version for the song Abre alas, by brazilia singer Ivan Lins. Check it out and let me know which one is your favorite:

 

****************************************************************************

Muitos aninhos atrás, quando eu comecei a colecionar discos de vinil, eu logo me apaixonei pela Ella Fitzgerald e muitas outras figurinhas frequentes na época que vinil não valia nada.

Uma delas foi ela, “The Divine One“, a divina, Sarah Vaughan.

Sarah Vaughan cantou de 1942 até 1990, ou seja, temos tudo que é tipo de período, estilo, e inclusive de evolução da voz da cantora pra apreciar. E isso é muito legal.

Sarah era completamente apaixonada pro Brasil, inclusive fez várias turnês pelo país. Na década de 1970, gravou o disco “I love Brazil!” com Milton Nascimento, Dorival Caymmi e Tom Jobim – que foi indicado ao Grammy.

Em 1981 ela lançou o álbum Copacabana, de onde vem a musica de hoje, The smiling hour.

Em 1987 foi gravado o último disco de Sarah, chamado “Brazilian Romance”, produzido pro ninguém menos que Sergio Mendes.

Curta The smiling hour:

Essa é uma versão em inglês para a música Abre alas, de Ivan Lins, que você pode conferir abaixo, e decidir qual é a sua favorita:

“Já está chegando a hora…”

Luísa Sobral – O meu cão

Olá! Como está a sua segunda-feira? Eu sei. Não se preocupe. Eu tenho a solução.

Prometo.

Hoje por um acaso danado dos algorítimos da internet, me apareceu essa sugestão de cantora fantástica que eu nunca tinha ouvido falar. Luísa Sobral é uma portuguesa de 31 anos simplesmente fantástica. Cantora incrível, compositora, instrumentista. É sensacional.

Com uma criatividade e sensibilidade fora do comum, ela faz algumas das músicas mais fofas e lindas que ouvi nos últimos tempos. Não acredita? Escute e assista o clipe de O meu cão :

É tão fofinho que eu nem sei o que dizer. Parece que saiu direto da trilha sonora do filme Toy Story.

“Ah Paula. Mas eu não gosto de cães” – disse a pior pessoa do mundo.

Ok. Mas e de bebezinhos, você gosta? Sim né? Como não gostar? Então se emocione com o lindo clipe e música abaixo:

Quem já passou por aqui antes, sabe que eu adoro covers incríveis. Dá uma olhada nessa versão que Luísa fez de Wrecking Ball, da Miley Cyrus. Simplesmente incrível:

E olha que d+ ? A Luísa também tem um irmão super talentoso, chamado Salvador Sobral:

Viva a terrinha! ❤

You don’t know me – Caetano Veloso

Recentemente conheci essa música e nunca mais parei de ouvir.

Sabe quando você escuta a mesma música 8 milhões de vezes? Escuta quando tá feliz, quando tá triste, quando tá parado, em movimento, etc, etc? Foi essa música.

Confesso que nunca fui fã do Caetano Veloso, sempre achei ele chato, e achava as músicas dele igualmente chatas. tanto que quando You don’t know me começou a tocar no spotify, eu não acreditei que era dele. Mas se assim como eu, você tem uma birrinha, dê uma chance pra essa que você vai curtir.

You Dont Know Me é uma música em inglês (que por sinal Caetano fala muito bem aqui), do álbum Transa de 1972, que é super intensa e parece ser muito contemporânea.

Ao longo da música, Caetano faz um medley com mais três canções totalmente diferentes. A primeira a aparecer é Maria Moita de Carlos Lyra:

Nasci lá na Bahia,

De mucama com feitor…

Meu pai dormia em cama,

Minha mãe no pisador…

A próxima é Saudosimo, do próprio Caetano, mas que em You don’t know me, é cantada no fundo pela Gal Costa, com uma voz linda e suave.

“Eu, você, nós dois…

Já temos um passado meu amor, um violão guardado…”

E por último, mas não menos surpreendente, temos ninguém menos que Gonzagão com Hora do adeus.

“Eu agradeço, ao povo brasileiro…

Norte, centro, sul, inteiro, onde reinou o baião”

Medley pra lá de inesperado mas que deu um resultado incrível né?

E olha que legal esse cover feito pela banda indie britânica The Magic Numbers. Confesso que é muito engraçadinho eles falando português:

E isso é o mundo da música! As vezes um artista que você não adora pode te surpreender com alguma música incrível.

Carmen McRae – Sound of Silence

Depois de um longo período longe do bloguinho, decidi voltar.

Confesso que o período de eleições foi tão caótico, tanta baixaria, tanta briga pra todos os lados, que me deixou sem muita vontade de escrever e falar sobre coisas aparentemente sem importância, como musiquinhas que eu gosto.

Mas enfim, agora deu vontade de voltar, e cá estou, com muitas músicas legais pra compartilhar.

Já que estive em silêncio pelos últimos 40 dias por aqui, achei válido trazer uma música temática.

Trago a conhecidíssima “Sound of Silence” dos lindos Simon& Garfunkel, só que numa versão incrível, performado pela maravilhosa Carmen McRae, em 1968.

Musicalização fantástica, ritmo e groove sensacionais. E pra quem gosta de um belo baixo destacado, vai apreciar. Achei que ficou um cover incrível e cheio de personalidade.

Se deu vontade de ouvir a original, vou deixar aqui também:

Se você ficou com vontade de conhecer um pouco mais de Carmen McRae, ela é uma cantora americana, nascida no Brooklyn, filha de pais jamaicanos. Começou a tocar piano aos 8 anos, e aos 15 virou amiga de Billie Holiday. E daí em diante foi consolidando sua carreira como cantora de jazz.

Ela não recebeu tanta atenção da mídia como Billie, Sarah Vaughan ou Ella Fitzgerald, mas mesmo assim era uma cantora fantástica, com uma capacidade vocal impressionante.

Olha que diferente essa versão em inglês, super jazzada de “Chega de saudade”:

Aqui ela canta a clássica “My foolish heart” lindamente:

E dá-lhe música boa!

Slumberjack – Paperplanes

Putaqueopariu.

Serei obrigada novamente a postar uma música do Triple J – Like a cover.

Olha que cover FUDIDO de massa da música Paper Planes, feito pela banda Slumberjack :

Meu deus do céu esse trio de cordas foi pra matar, e essa fusão com Fake Love do Drake também.

Se você não conhece a música original, é da M.I.A, de 2007, e é beeeem diferente:

Confesso que demorei pra postar essa semana, pois escrevi um texto dizendo o que estava sentindo em relação a essa semana bizarra de eleições que acabamos de viver…mas depois de ver a represália CHOCANTE que aconteceu com Helena Rizzo nas redes fiquei tão abismada, e constatei que definitivamente a razão e o bom senso morreram.

Tenso.

Maps – Cape Cope

Que a música Maps do Yeah Yeah Yeahs é maravilhosa não é novidade pra ninguém.

Acho essa música espetacular em tudo, na letra, no ritmo, acho muito emocional, carregada de sentimento.

Se você não conhece a versão original, curta aqui:

 

Os covers do programa Triple J – Like a version aparecem frequentemente por aqui, pois sempre tem artistas famosos e não tão famosos assim fazendo covers incríveis.

Hoje trago um trio punk australiano composto por 3 meninas talentosas chamado Camp Cope. Se você também ama Maps, se prepare que essa versão vai te emocionar:

Lindo né?

Pomplamoose – Eleanor Rigby (cover)

Eu adoro quando o youtube / spotify me sugerem músicas novas. Muitas vezes aparece coisas que já conheço ou que são ruins, mas muuuuitas vezes aparecem muitas  coisas legais.

Se você já conhece esse bloguinho, sabe que eu amo profundamente covers incríveis, quando os artistas trazem estilo autoral à música original e deixam ela diferentona e incrível.

E se você de fato já conhece esse bloguinho, não precisamos nem dizer qual o sentimento por aqui em relação a Beatles, não é?

Olha que demais esse cover feito pela dupla americana Pomplamoose da já sensacional Eleanor Rigby dos Beatles, só que aqui com apenas voz+baixo+piano:

É uma versão suave de uma música tão intensa. Não tem como não se surpreender, não é?

Mas esses mocinhos super talentosos tem muitoooos covers incríveis! Olha esse de Killing me softly, que lindo, que harmonia vocal sensacional:

Essa aqui é demais, um mashup de Jamiroquai e Bee Gees que ficou incrível. Acompanhe a empolgação do tecladista e do baixista e se empolgue junto:

Pra dar o play no canal e ficar ouvindo todas !