Dean Martin – That´s amore

Nesse bloguinho já demonstrei todo meu amor por cantores ícones ítalo-americanos. Já passaram por aqui Frank Sinatra e Louis Prima, então chegou a hora de falarmos de mais um que é simplesmente maravilhoso: Dean Martin, o Dino.

Dean Martin assim como Louis Prima, não fez tanto sucesso aqui no Brasil, mas arrebentou nos EUA. Acabei de voltar de lá e tive a oportunidade de ir numa loja de vinis fantástica, e a quantidade de vinis do Sinatra e do Dean Martin era bem similar, isso é um bom indicativo de quem fez sucesso back in the day.

Dean Martin foi um puta de um entertainer, sendo brilhante como cantor, ator em filmes e televisão, apresentador, comediante, a lista segue. Era tanta coisa que ele ganhou o apelido de “King of Cool” pelo seu excesso de carisma e habilidades. Ele fez parte do grupo “Rat Pack” com Sinatra Sammy Davis Jr, e posteriormente formou uma dupla de comédia de muito sucesso com o lendário comediante Jerry Lewis. Ele tem nada menos que 3 estrelas na calçada da fama, pelo seu sucesso na TV, música e cinema. O que esse homem não fazia, não é mesmo?

Hoje vou focar nas músicas. Algumas das músicas temáticas “italianas” mais conhecidas até hoje são todas na voz de Dean Martin. Quer exemplos?

Vamos primeiro com a que dá o título ao post, a lindíssima That´s Amore, minha favorita. Olha que coisa mais linda ele cantando no filme “The Caddy” junto com o Jerry Lewis:

Excuse me, but you see, back in old Napoli…That´s amore!

Agora vamos com a tradicional e famosíssima Mambo Italiano, usada a exaustão em trilhas sonoras de filmes e séries dos mais variados temas:

E essa aqui? Volare. Ah, essa nem precisa de introdução né?

São tantas que amo dele que não consigo não postar mais umas. Olha essa “Everybody loves somebody sometime”, que literalmente significa “Todo mundo ama alguém e algum momento”. Vou deixar aqui ele ao vivo, claro, porque é a coisa mais linda. Olha essa presença de palco, esse bom humor e essa potência vocal sem esforço:

Se você gostou dele cantando musicas italianas, que tal ele cantando bossa nova? Olha que demais ele cantando, em um dos programas que ele teve na TV, Samba de uma nota só do João Gilberto, One note samba, com a MARAVILHOSA francesa Caterina Valente. Não fica mais lindo que isso, esse vídeo é ouro puro:

Pra fechar, vou deixar a divertidíssima “Ain´t that a kick in the head” pra mostrar além do talento vocal, o senso de humor, pois na música ele fala como se apaixonar é um “chute na cabeça”, hehe. E não vou deixar qualquer versão não. Vou deixar a dele cantando no filme “Ocean´s 11″ de 1960.

That´s amore demais da conta!

Anúncios

Frank Sinatra – Young at heart

Hoje tou old glamour.

Eu sou completamente apaixonada pelo Frank Sinatra tem bastante tempo. Adoro tudo dele.

A voz, as performances ao vivo, as conversas nos shows, as polêmicas dos envolvimentos com a máfia, o estilo, as roupas, the blue eyes. Nossa.

Apenas ícone, vou ter que dar uma de fangirl aqui, não vai ter muito jeito. No post da Ella, falei que ela era uma das maiores figurinhas na minha coleção de discos. Arrisco dizer que ela e o Sinatra devem estar quase empatados, isso se ele não ganhar, hein.

Hoje acordei com essa música tocando na minha cabeça no repeat. Não sei exatamente por que.

Acho que talvez por causa da páscoa que passou, que é bom se sentir criança novamente e ganhar chocolates simplesmente porque sim.

Pode ser também porque ontem eu estava ouvindo algumas músicas antigas da Disney, como When you wish upon a star, e os arranjos de Young at heart me lembram muito as músicas dos filmes antigos da Disney.

É  tão linda essa música. Ela passa uma mensagem linda, de alegria, jovialidade, dizendo que na vida você já tem uma vantagem, se você for jovem de coração, e que contos de fadas podem acontecer, se, novamente, você for jovem de coração.

É bom demais, segue vídeo com letra, caso você queira acompanhar:

Como eu disse lá em cima que adoro as conversas do Sinatra, segue aqui uma versão ao vivo dessa música em que ele diz o quanto acha linda essa composição.

Bônus do cenário vintage sensacional, do terno fantástico – mais bem cortado impossível – e de uma das minhas coisas prediletas em apresentações do Sinatra: sair cantando com o vozeirão impecável, com as mãos no bolso. Mais despretensioso impossível. Como não se apaixonar?

Mas ok, se tem um outro ítalo-americano que eu amo de paixão é o Dean Martin. Não tão famoso mundialmente quando o Sinatra, e um pouco mais pro lado cômico do que pro glamuroso, eu acho ele o máximo. Faz tempo que tou ensaiando um post dele aqui, mas sempre me empolgo e quero colocar músicas demais e não me decido em qual escolher. Se vocês não se conhecem, se prepare, que ele é demais:

Mesma linha de vozeirão, cantando meio sentado, meio deitado num divã, como se não fosse absolutamente nada demais essa extensão vocal. Fazer o que né?

Boa forma de começar a semana, não é? Permaneçam young at heart!