Khalid no NPR

Olá amiguinhos!

Esse bloguito nos últimos dias ficou fora do ar porque fiz umas mudanças de servidor.

Acredito que agora estamos numa plataforma melhor, dá pra vocês comentarem em cada post, e criei também um email sempre que quiserem indicar suas músicas pra cá. É o falecomindicamusica@gmail.com .

O que acharam da carinha nova do blog? Eu curti.

Ontem apareceu pra mim esse vídeo de alguns dias atrás, mas que eu ainda não tinha visto: o Khalid no NPR Tiny Desk, e é simplesmente sensacional.

O Khalid foi um dos primeiros posts desse blog com Location, em que eu te avisei que esse mocinho tem apenas 20 aninhos e é talentoso pra caramba.

Olha que demais ele ao vivo só no voz+violão, como pode essa voz tão incrível?

Confesso que gostei mais dessa versão de Young, dumb and broke do que da original.

Khalid seu maravilhoso, vai longe!

Anúncios

Dingo Bells – Dinossauros

A música de hoje é muito linda, é uma graça, é maravilhosa. Viva o rock nacional, meu deus do céu.

Faz pelo menos umas 2 semanas que TODOS OS DIAS acordo pela manhã com essa música na cabeça, com a maravilhosa frase:

“É…talvez…a sua imaginação, esteja tão limitada, por problemas reais…”

E quer verdade maior que essa? O tanto que nossa imaginação fica limitada por problemas reais?

A música Dinossauros da maravilhosa banda Dingo Bells tem uma letra toda maravilhosa. Curta, curta muito, curta a letra, curta a melodia, curta tudo:

Sempre que eles falam “Hoje me sinto, como de certo se sentiram os astronautas, quando souberam que de frente lá na lua, não voltariam pro Cabo Canaveral…” sinto um apertinho no peito e me dá uma tristezinha momentânea. Toda. Santa. Vez.

Gostaria de mencionar também que acho essa música altamente BEATLECÊNTRICA, influenciada lindamente pela fase Sgt Peppers / Abbey Road / White Album. Se você pegar ali a partir do minuto 2:30, parece até que estamos ouvindo um trecho de A day in the lifecom o solo inicial de Something. Pode ouvir, lembra muito! Melhores referências possíveis.

Mas confesso que a banda Dingo Bells me evoca uma outra referência ótima e muito engraçada. Se você tem crianças pequenas perto de você, provavelmente você conhece as músicas do Mundo de Bita. Não vou linkar aqui, porque se você de fato tem crianças pequenas, você já ouviu Mundo de Bita até cansar e muito.

Mas escuta só a música Sinta-se em casa, e veja se a voz não parece muitoooooo a voz do Bita:

É o Bita, gente!

E olha aí, eles são o estilo de banda que eu amo. Simplesmente incríveis ao vivo. Olha eles aí arrasando no Sofar Latin America:

bom demais, né não?!

Brenton Wood – Oogum Boogum Song

Hoje é quarta-feira, um dia meio perdido no meio da semana, mas mesmo assim tou me sentindo animada.

Hoje vou deixar uma musiquinha muito legal, 1000% digna do título “Música de trilha sonora” porque com certeza eu e você já ouvimos essa musiquinha por aí em algum filme ou episódio.

Oogum Boogum Song é de 1967, performada pelo maravilhoso Brenton Wood, cantor americano cujso maiores sucessos foram Oogum Boogum e Give me a little sign:

E aí, deu pra animar sua quarta-feira?

Sarah Vaughan – Black Coffee

Hoje amanheceu uma friaca danada aqui na minha cidade.

Além de acordar com frio, acordei com sono pra caramba. Cheguei no serviço e a única coisa que eu conseguia pensar era tomar um café. Nisso veio a inspiração pro post de hoje.

Hoje trago a maravilhosa música Black Coffee da divina Sarah Vaughan. Tenho essa música em disco de vinil, e já ouvi ela tantas vezes que ela me soa até nostálgica quando ouço.

Se você é fã de métricas perfeitas e rimas ricas, aprecie a lindeza que mora no verso “And in between this nicotine

A Sarah Vaughan é sensacional. Se você não conhece o repertório dela, vai amar. Sei que aqui no blog sempre enalteço a Ella Fitzgerald, que é realmente minha favorita, mas a Sarah merece muito amor também.

Vou deixar aqui Summertime, uma música que já foi gravada por milhares de artistas, mas que na minha opinião a versão da Sarah é a melhor disparado:

Olha que preciosidade essa apresentação ao vivo da Sarah com ninguém menos que Wilson Simonal. Você quer presença de palco? Quer domínio perfeito de voz? Receba:

Na minha opinião a Sarah Vaughan tem o dom de conferir muita personalidade, versatilidade e opinião à voz dela. Ela muda de notas lindamente, prolonga letras sem a menor pressa ou dificuldade, confere autenticidade a tudo que canta. Olha que lindeza a versão dela de A house is not a home :

É pra esquentar o coraçãozinho nesse friagem toda ❤ !

Ornella Vanoni – Senza Paura

O último post por aqui foi do Dean Martin e algumas músicas pra lá de conhecidas italianas.

Confesso que tou com esse tema ecoando na minha cabeça, e hoje trago mais uma música italiana pra vocês. Senza Paura não é tão tradicional, mas é maravilhosa:

Ornella Vanoni é uma cantora muito tradicional italiana, que fez muito sucesso na década de 60 e 70, e em 1976 gravou um album inteiro de bossa nova cantado em italiano com Toquinho e Vinícius, é muito legal se você gosta do gênero:

Se você acha que conhece a música Senza Paura de algum lugar, pode ser da versão original dela, a Sem medo de Toquinho e Vinicius, que é maravilhosa e tem uma letra incrível. Confesso que a cada ano que passa me sinto cada vez mais medrosa em cada tomada de decisão, e é justamente sobre isso que essa música fala, viver cada fase da vida (inclusive a morte) sem medo.

Gostei dessa mensagem (e importante lembrete) pra começar a semana,e vocês?

Dean Martin – That´s amore

Nesse bloguinho já demonstrei todo meu amor por cantores ícones ítalo-americanos. Já passaram por aqui Frank Sinatra e Louis Prima, então chegou a hora de falarmos de mais um que é simplesmente maravilhoso: Dean Martin, o Dino.

Dean Martin assim como Louis Prima, não fez tanto sucesso aqui no Brasil, mas arrebentou nos EUA. Acabei de voltar de lá e tive a oportunidade de ir numa loja de vinis fantástica, e a quantidade de vinis do Sinatra e do Dean Martin era bem similar, isso é um bom indicativo de quem fez sucesso back in the day.

Dean Martin foi um puta de um entertainer, sendo brilhante como cantor, ator em filmes e televisão, apresentador, comediante, a lista segue. Era tanta coisa que ele ganhou o apelido de “King of Cool” pelo seu excesso de carisma e habilidades. Ele fez parte do grupo “Rat Pack” com Sinatra Sammy Davis Jr, e posteriormente formou uma dupla de comédia de muito sucesso com o lendário comediante Jerry Lewis. Ele tem nada menos que 3 estrelas na calçada da fama, pelo seu sucesso na TV, música e cinema. O que esse homem não fazia, não é mesmo?

Hoje vou focar nas músicas. Algumas das músicas temáticas “italianas” mais conhecidas até hoje são todas na voz de Dean Martin. Quer exemplos?

Vamos primeiro com a que dá o título ao post, a lindíssima That´s Amore, minha favorita. Olha que coisa mais linda ele cantando no filme “The Caddy” junto com o Jerry Lewis:

Excuse me, but you see, back in old Napoli…That´s amore!

Agora vamos com a tradicional e famosíssima Mambo Italiano, usada a exaustão em trilhas sonoras de filmes e séries dos mais variados temas:

E essa aqui? Volare. Ah, essa nem precisa de introdução né?

São tantas que amo dele que não consigo não postar mais umas. Olha essa “Everybody loves somebody sometime”, que literalmente significa “Todo mundo ama alguém e algum momento”. Vou deixar aqui ele ao vivo, claro, porque é a coisa mais linda. Olha essa presença de palco, esse bom humor e essa potência vocal sem esforço:

Se você gostou dele cantando musicas italianas, que tal ele cantando bossa nova? Olha que demais ele cantando, em um dos programas que ele teve na TV, Samba de uma nota só do João Gilberto, One note samba, com a MARAVILHOSA francesa Caterina Valente. Não fica mais lindo que isso, esse vídeo é ouro puro:

Pra fechar, vou deixar a divertidíssima “Ain´t that a kick in the head” pra mostrar além do talento vocal, o senso de humor, pois na música ele fala como se apaixonar é um “chute na cabeça”, hehe. E não vou deixar qualquer versão não. Vou deixar a dele cantando no filme “Ocean´s 11″ de 1960.

That´s amore demais da conta!

Viva o Paulinho

Lembra quando você tava no colégio e seu professor de historia te ensinou sobre Eurocentrismo, aquela visão de que era a Europa vista como centro do mundo, e etc? Copiando da wikipedia: O eurocentrismo é uma visão de mundo que tende a colocar a Europa como o elemento fundamental na constituição da sociedade moderna, sendo necessariamente a protagonista da história do homem.

Então, eu sou bem assim no mundo da música com BEATLECENTRISMO. Pra mim tudo de bom e inovador no mundo da música é graças aos Beatles e simples assim, e sem mais, e fim de papo e tchau e bença.

beatlecentrismo é uma visão de Paula que tende a colocar osBeatles como o elemento fundamental na constituição da sociedade moderna, sendo necessariamente os protagonistas da história do homem.

Deu pra entender né?

Embora eu ame os Beatles como uma unidade, é inevitável termos nossos favoritos. Eu amo muito o George com seu jeito silencioso, amável e espiritual. Mas vamo abrir o jogo né moçada: o Paul é o verdadeiro gênio do rolê. O Paul é o fenômeno publicitário, criativo, descolado e intelectual da patotinha.

Na minha opinião o Paul é hoje o maior artista e gênio criativo vivo. Eu avisei que eu sou Beatlecentrista, logo, deu pra você desistir de ler lá em cima. Aqui não trabalhamos com imparcialidades.

E porque de todos os dias, logo hoje esse ode ao Sir Paul McCartney? Porque hoje é o aniversário do nosso querido Macca, 76 aninhos muito bem vividos, marcando a vida de milhões de pessoas por todo o mundo!

Eu tenho tanta coisa pra escrever aqui, que acho que vou acabar é não escrevendo nada pra não ficar um texto de 14 páginas. Já li tanto livro, já assisti tanto filme e documentário sobre essa carinha aqui que considero pacas, que olha. É amor demais e dava pra gente ficar um tempão conversando dele.

A primeira música que vou postar dele é nos Beatles. Yesterday é uma música que o Paul sonhou com a melodia, acordou e foi direto pro piano tocar pra não esquecer. Enquanto ele não conseguia pensar em uma letra pra essa melodia ele cantou “Scrambled eggs…Oh my baby how I love your legs…” algo como “Ovos mexidos…Oh meu amor como eu amo suas pernas”  e então ficou com essa melodia travada a essa letra em sua cabeça por tanto tempo, que demorou muito a conseguir compor a letra de Yesterday de fato. Ah, mais uma informação: Yesterday é a música mais regravada no mundo. Sem mais:

Tou suando aqui.  Tou fazendo uma curadoria de muitas músicas que amo desse cara tão maravilhoso, não é fácil. Vou jogar duas inusitadas aqui que eu amo muito, do White Album, que é o meu disco predileto.

Ia colocar Rocky Racoon, mas não achei o áudio original no youtube, e me recuso a num post de homenagem ao Paulie colocar o vídeo com outra pessoa cantando.

Então deixo só Honey Pie, que mostra toda a versatilidade vocal do Macca, fazendo aqui uma homenagem ao Fats Domino e seu estilo de cantar:

Em 2012 (se não me falha a memória) eu tive o privilégio de ver o show desse homem no RJ. E se você é fã de Beatles e nunca foi em um show do Paul, meu amigo, o que você tá esperando? É uma experiência extracorpórea, eu te prometo. Principalmente quando toca essa música aqui:

E essa aqui idem, é só escutar os acordes iniciais dessa música que já me dá um negócio só de lembrar de que um dia fui nesse show:

A primeira música que eu ouvi do Paul fora dos Beatles foi essa aqui embaixo, num disquinho 8 polegadas com ela de single. Emblemático as fuck. Gostei tanto que depois comprei o vinil do maravilhoso RAM que tem ela no lado A. Além de tudo, esse clipe é maravilhoso, mostra uns momentos fofíssimos de Paul&Linda na vida em família:

Pra fechar, vou deixar uma que pra quem é fã de Beatles mesmo, é sempre uma música muito emocionante. Here Today (Aqui hoje), é a música que Paul compôs pro John depois que ele morreu. Ela é tão emocionante, que até o próprio Macca se emociona cantando ela AQUI, já que excedi meu limite de vídeos por post.

Depois desse post eu consegui te converter pro Beatlecentrismo ou pro Mccartneymismo? Espero que sim.

Vida longa ao Macca! Não morre nunca Paul, pelo amor!