Carmen McRae – Sound of Silence

Depois de um longo período longe do bloguinho, decidi voltar.

Confesso que o período de eleições foi tão caótico, tanta baixaria, tanta briga pra todos os lados, que me deixou sem muita vontade de escrever e falar sobre coisas aparentemente sem importância, como musiquinhas que eu gosto.

Mas enfim, agora deu vontade de voltar, e cá estou, com muitas músicas legais pra compartilhar.

Já que estive em silêncio pelos últimos 40 dias por aqui, achei válido trazer uma música temática.

Trago a conhecidíssima “Sound of Silence” dos lindos Simon& Garfunkel, só que numa versão incrível, performado pela maravilhosa Carmen McRae, em 1968.

Musicalização fantástica, ritmo e groove sensacionais. E pra quem gosta de um belo baixo destacado, vai apreciar. Achei que ficou um cover incrível e cheio de personalidade.

Se deu vontade de ouvir a original, vou deixar aqui também:

Se você ficou com vontade de conhecer um pouco mais de Carmen McRae, ela é uma cantora americana, nascida no Brooklyn, filha de pais jamaicanos. Começou a tocar piano aos 8 anos, e aos 15 virou amiga de Billie Holiday. E daí em diante foi consolidando sua carreira como cantora de jazz.

Ela não recebeu tanta atenção da mídia como Billie, Sarah Vaughan ou Ella Fitzgerald, mas mesmo assim era uma cantora fantástica, com uma capacidade vocal impressionante.

Olha que diferente essa versão em inglês, super jazzada de “Chega de saudade”:

Aqui ela canta a clássica “My foolish heart” lindamente:

E dá-lhe música boa!

Anúncios

Brenton Wood – Oogum Boogum Song

Hoje é quarta-feira, um dia meio perdido no meio da semana, mas mesmo assim tou me sentindo animada.

Hoje vou deixar uma musiquinha muito legal, 1000% digna do título “Música de trilha sonora” porque com certeza eu e você já ouvimos essa musiquinha por aí em algum filme ou episódio.

Oogum Boogum Song é de 1967, performada pelo maravilhoso Brenton Wood, cantor americano cujso maiores sucessos foram Oogum Boogum e Give me a little sign:

E aí, deu pra animar sua quarta-feira?

Sarah Vaughan – Black Coffee

Hoje amanheceu uma friaca danada aqui na minha cidade.

Além de acordar com frio, acordei com sono pra caramba. Cheguei no serviço e a única coisa que eu conseguia pensar era tomar um café. Nisso veio a inspiração pro post de hoje.

Hoje trago a maravilhosa música Black Coffee da divina Sarah Vaughan. Tenho essa música em disco de vinil, e já ouvi ela tantas vezes que ela me soa até nostálgica quando ouço.

Se você é fã de métricas perfeitas e rimas ricas, aprecie a lindeza que mora no verso “And in between this nicotine

A Sarah Vaughan é sensacional. Se você não conhece o repertório dela, vai amar. Sei que aqui no blog sempre enalteço a Ella Fitzgerald, que é realmente minha favorita, mas a Sarah merece muito amor também.

Vou deixar aqui Summertime, uma música que já foi gravada por milhares de artistas, mas que na minha opinião a versão da Sarah é a melhor disparado:

Olha que preciosidade essa apresentação ao vivo da Sarah com ninguém menos que Wilson Simonal. Você quer presença de palco? Quer domínio perfeito de voz? Receba:

Na minha opinião a Sarah Vaughan tem o dom de conferir muita personalidade, versatilidade e opinião à voz dela. Ela muda de notas lindamente, prolonga letras sem a menor pressa ou dificuldade, confere autenticidade a tudo que canta. Olha que lindeza a versão dela de A house is not a home :

É pra esquentar o coraçãozinho nesse friagem toda ❤ !

Nat King Cole – Unforgettable

Olá amiguinhos

Essa que vos fala tirou alguns dias de férias, por isso o bloguinho deu uma morrida. Mas agora estamos de volta!

Hoje foi o primeiro dia pós viagem que parei pra ver as fotos que foram tiradas. Logo que eu comecei a passar pelas fotos, começou a tocar essa música e eu achei muito lindo.

Nat King Cole é aquela coisa meio mítica quando começa a tocar, porque realmente é trilha sonora de muita coisa. Tudo que é filme, série, propaganda, etc já usou essa música e outras dele pra ilustrar momentos especiais.

Unforgettable significa inesquecível, que eu acho que é uma boa característica pra qualificar sua viagem de férias:

A letra dessa música é lindíssima, super romântica, casamento-worthy mesmo.

Aqui temos Nat Cole cantando ao vivo no programa que ele tinha na TV. Seu programa estreou em 1954, e foi o PRIMEIRO e ÚNICO na época programa de auditório comandado por um negro na televisão. Infelizmente, só durou 13 meses no ar por total falta de patrocínios. Uma tristeza:

No Netflix tem um documentário chamado “Nat King Cole : Afraid of the dark” que é sensacional. Nele conta o tanto de preconceito que o Nat sofreu quando  fez seu programa de televisão, quando se mudou para um bairro rico dominado por brancos, quando acharam uma boa ideia pintar o rosto dele de branco pra aparecer na tv e “enganar” o público… simplesmente muitos fatos chocantes, e uma trajetória incrível apesar disso tudo. Aqui vai um trailer:

De quebra, vou deixar outra linda música digna de trilha sonora dele, que sempre que escuto fico muito feliz, espero que também te traga uma alegriazinha pro dia de hoje:

Se não me falha a memória, essa é a música que abre o filme “Harry & Sally – Feitos um para o outro”.

Músicas lindas pra dar uma graça na tarde!

Louis Prima – Pennies from heaven

Hoje trago pra vocês um artista sensacional. Louis Prima é um cara incrível, da mesma leva do Frank Sinatra, de americanos imigrantes italianos (Siciliano, pra não decepcionar a família Corleone) multi talentosos. Só que aqui temos um detalhe importante. Louis Prima nasceu em New Orleans. Então ele é o melhor de dois mundos : jazz e swing +  italian charm, hehe.

O Louis Prima puxava muito mais pra influência italiana do que o Sinatra. Ele também era mais caricato e humorístico, dançava nas apresentações e realmente cantava em italiano em muitas músicas.

O motivo pelo qual estou postando ele aqui hoje, foi que esse fim de semana assisti um filme que adoro, chamado Casino, do Martin Scorsese. Eu amo tanto o Scorsese, que até se ele dirigisse um comercial do iFood eu ia achar o máximo.

Se você nunca assistiu Casino, eu recomendo fortemente. Acho simplesmente sensacional, que os 30/40 primeiros minutos inteiros do filme (é um filme de 2h40…), tocam música initerruptamente. Sério mesmo, é como se fosse um filme musical. E nesses 40 minutos de música, se não me engano toca umas 2 ou 3 do Louis Prima.

Vou deixar pra vocês aqui algumas das minhas favoritas dele:

Adoro essa música. Acho ela tão feliz, tão animada, tão bonita. Difícil não se contagiar “animadamente” com ela. Justíssimo pra uma segunda feira, né não?

O Louis Prima fazia muitos medleys de 2 ou mais músicas em uma só, e eu adoro isso! Essa mocinha atrás dele nessa música é a esposa dele, Keely Smith, acho ela lindíssima e amo essa carona sisuda dela. Uma gracinha a interação awkward dela com o Louis.

Pra fechar com chave de ouro, vou deixar mais um medley incrível dele. Nessa ele mistura Angelina com Zooma Zooma. Você provavelmente não conhece pelo nome, mas Zooma Zooma é uma canção tradicional Siciliana de casamentos. De onde você conhece ela? Ah sim. É apenas a música que a MAMA CORLEONE ❤ canta no casamento da Connie em The Godfather. De nada. Essa é a música que você não sabia que precisava conhecer.

Como eu amo essa cena. É quando ainda tá todo mundo de benzinho na família e tá tudo certo, e parece que nunca vai dar nada errado.

Bom, esse post acabou ficando tão cinófilo quando musicófilo (ehehe). Então vamo iniciar a semana assistindo muito filme de máfia e ouvindo muita música italiana!

Lianne La Havas

Descobri recentemente a Lianne, através do NPR Music, o programa do video do Tyler the Creator que postei ali embaixo.

Depois de ficar obcecada com a apresentação dela no programa, fui pesquisar outras músicas.

Achei o clipe de uma das mais famosas (e a minha música predileta dela), Unstopable. Achei engraçado, ela parece tão diferente no clipe do que no ao vivo. Vejam:

O que eu gosto dela ao vivo, é ela tocando guitarra, que é perfeito. Fora que a habilidade vocal dela é sensacional, então a qualidade de voz no ao vivo e no estúdio é a mesma coisa hehe.

Quando eu gosto muito de uma música, a primeira coisa que eu faço (depois de ouvir ela mil vezes, óbvio) , é pesquisar covers. Dream a little dream of me, é uma música que ficou famosa primeiro com a Doris Day na década de 1950 e depois com o Mamas and Papas na década de 1960, e eu amo. Aqui tem a Lianne fazendo um cover chiquérrimo dessa música fofica, que ficou com cara de clássico do jazz na voz dela. Sensacional.

Pra dizer “SOCORRO, QUE MARAVILHOSA”, aqui tem ela fazendo cover de ninguém menos que Aretha Franklin.  Mais uma vez, talento até cansar, tendo em vista que a pessoa tá sozinhinha em cima do palco. Só ela e a guitarra.

Não tem nem o que dizer, né? Acho massa quando filmam a platéia, e você percebe que tá todo mundo simplesmente fascinado.

Mais uma musiquinha dela, que eu amo muito, chamada Wonderfull, um pouco mais melancólica.

E pra finalizar, vou deixar aqui a apresentação dela no NPR Music, que foi onde a gente se conheceu, hehe. Apresentação que eu já assisti umas 10x, ela tá tão maravilhosa nela. Não que ela precise, mas aqui tem backing vocal da Frida Mariama (que tambem aparece na Wonderfull, ali em cima), e ficou lindo tambem.

https://www.youtube.com/watch?v=9HUV5a7MgS4

Se você gostou dela, não deixe de pesquisar no youtube no spotify, tem muita coisa boa. Enjoy!