Mungo Jerry – The Summertime

Have you ever came across some youtube videos from Lord Vinheteiro, with tittles such as “songs you’ve heard before, but don’t know the name?” or even “russian songs you have heard before but didn’t know the author ” or something something?

Well yeah.

Today’s song is pretty much the same vibe. It’s very likely that you’ve heard this song before somewhere and might recognize the melody, but never even though about looking for the band or song’s name – even living in a Shazam time and age.

Here is this very happy summer vacation theme song, In the Summertime, from 1969, by the british band Mungo Jerry, who is still active until this day (!).

Summer playlist on the go!

 

*****************************************************************************

Você já viu no youtube os vídeos do Lord Vinheteiro com títulos assim “músicas que você sempre ouviu e não sabia o nome” ou “músicas russas que você já ouviu mas não sabia o compositor” ou algo assim?

Pois bem.

A música e hoje é mais ou menos assim. É bem provável que você já tenha a ouvido em algum lugar, mas nunca parou pra saber o nome da banda ou da música, mesmo em dias de aplicativo Shazam.

Trago-lhes a feliz música tema de férias, In the Summertime de 1969, da banda britânica Mungo Jerry, que está em atividade até hoje (!).

Playlist de férias, é pra já!

Anúncios

The Zombies – That time of the season

I’ve mentioned here a couple of times about my Beatlecentric view of the world, in which I theorize about how The Beatles have completely changed the musical industry, etc, etc, etc, and there is the world before-Beatles and after-Beatles, but you’ve read about it already (and very probably disagreed, but that’s ok, we can still be friends).

And so, my dear Beatleskeptical friend, a Beatle-related phenomenon you surely can’t deny, is the British Invasion.

This term represents the movement in which many cool and stylish british bands were boosted world-wide, and mainly in America’s hit parades, by The Beatles’s success.

The Zombies was one of those bands. They went big on the parades in the US in 1964 with “She’s not there”, here for you to listen:

I like it, it’s catchy, it’s as british invasion as you can possibly get, I find it charming, with an awesome instrumentalization. But IMHO, the crown’s jewel ( did you appreciate this very smart queen related pun? huh? huh?) by The Zombies is the song Time of the season.

I think that maybe it sounds better because here the singer Rod Argent isn’t singing in a higher note than his actual tune is, as in She’s not there. Also this song has a great pace, and a sensual feel to it. Plus the crazy ambitious keyboard solo. What’s not to love?

Fun fact: when they sing “Who’s your daddy? / Is he rich like me?” is a reference to the fantastic Gershwin / Heyward Jazz song Summertime, in which we hear Oh, yo’ daddy’s rich and yo’ ma is good-lookin’”.

Sensational.

Go ahead and add it to your playlist, so you can hear it in the morning, afternoon, evening, working or during your holidays. Just go, already and add it!

 

*************************************************************************************

 

Já falei algumas vezes aqui no blog sobre a minha visão de mundo Beatlecêntrica, que eu enxergo como os Beatles mudaram completamente a indústria musical, etc, etc, etc.

E um fenômeno danado provocado pelos Beatles que você – por mais anti-Beatles que seja, querido leitor – não pode negar, é a British Invasion.

Calma, permita-me desanglicanizar, esse termo representa o movimento de invasão de bandas britânicas com seus estilos pra lá de cool e músicas descoladas no mundo inteiro e principalmente nas apradas de sucesso dos EUA.

The Zombies foi uma dessas bandas, que estourou nos EUA em 1964 com “She’s not there” , que vou deixar aqui pra você curtir:

Acho boa, acho chciclete, acho british invasion pra caramba, acho charmosa, acho a instrumentação foda. Mas a joia da coroa (apreciou o trocadilho, referente à terra da rainha? hum? hum?) dos Zombies pra mim é Time of the season.

Talvez ela soe melhor (na minha humilde opinião), por que aqui o vocalista Rod Argent não canta tanto em falsete como em She’s not there, e sim utiliza seu timbre mais grave com essa música mais lenta.

Sensacional.

Essa é pra adicionar na playlist e ouvir de manhã, tarde, noite, trabalhando ou de férias. De nada!

 

Lilly Allen – Not fair

Hoje abri meu youtube, e tinha essa linda versão da musa Lilly Allen para Deep End da Lykke  Li:

Eu adoro muuuuito a Lilly Allen. Comecei a ouvir lá por 2008, 2009, quando ela lançou Smile, com aquele clipe que não parava de passar na MTV e eu amava.

Daí me lembro que descobri esse cover dela para Oh my god do Kaiser Chiefs, e eu escutei TANTO essa música até enjoar:

Nossa, e eu lembro que eu tinha acabado de adicionar ela no meu iPod e fui viajar. Por isso passei a viagem toda repetindo “Oh my God I can´t believe it, I´ve never been this farway from home…”. Acho apropriado.

Mas o título desse post é uma das minhas favoritas da Lilly , Not fair. Lembro que quando esse clipe lançou, eu surtei e fiquei obcecada pela estética, e claro, a música é sensacional:

E aí, qual a sua favorita da Lilly Allen?

Small Faces – All or nothing

Ultimamente estamos vivendo dias polarizados, opiniões exaltadas, tempos de muitos exageros, de tudo ou nada. Gente que nunca teve intelecto ou interesse político, fazendo 10 declarações por dia de cunho eleitoral.

É desesperador. É preocupante. É cansativo.

Mas no meio dessa canseira toda, veio a sensacional All or nothing na minha cabeça.

Small Faces é uma banda britânica que fez muito sucesso na década de 1960, tendo seu auge em 1966.

Outra música deles que gosto muito é essa aqui, Lazy Sunday Afternoon (que é um ótimo descritivo do que foi o dia de ontem, inclusive):

Boa semana! Sobrevivamos.