Paul McCartney – Back in Brazil

Esses dias atrás foi aniversário do Paul McCartney e rolou por aqui homenagem pra aquele que pra mim é o maior gênio criativo vivo e meu ídolo supremo.

Recentemente o nosso Paulinho lançou um álbum novo, do alto dos seus 76 anos, chamado Egypt Station. E o véinho não para, basta abrir o youtube ou o facebook pra ver que a divulgação do álbum tá pesadíssima. Paul tá indo nos principais talkshows do mundo pra divulgar seu álbum novo, tá produzindo clipes de algumas faixas, fazendo posts em redes sociais, ações com a gravadora e muito mais.

Enfim, vitalidade para trabalhar invejável, né não?

Hoje trago os dois singles que foram lançados desse novo álbum. A primeira é Back in Brazil:

 

Se eu disser que eu amei essa música é mentira. Achei muito new wave, e achei a letra da música meio sem graça. Mas quem sou eu pra criticar o trabalho do nosso Sir né? Isso mesmo : ninguemzíssima, portanto, vamos só curtir a musiquinha.

O outro single,  Fuh You ,saiu clipe hoje. O clipe é fofinho, porem nada demais. Na era que vivemos, dos clipes virais à la Childish Gambino e Cia, acho que o Paul poderia fazer um clipe causante de vez em quando, só pra mostrar pra galerinha quem é que manda. Que que ceis acham?

Gostei mais de Fuh You do que de Back in Brazil. Aqui podemos ouvir melhor a voz do Paul, embora achei a instrumentação meio “comum” nas músicas atuais.

Mas é isso aí, o Paul segue sendo meu ídolo máximo e incomparável, mesmo achando meio mais do mesmo as musiquinhas novas. Já avisei que nesse bloguinho não trabalhamos com imparcialidade no que se refere a Beatles.

Pega aqui a presença magnânima do nosso véinho no Jimmy Fallon:

Inclusive, anunciando que vai sair em turnê de novo. Quem vamos????

Anúncios

Viva o Paulinho

Lembra quando você tava no colégio e seu professor de historia te ensinou sobre Eurocentrismo, aquela visão de que era a Europa vista como centro do mundo, e etc? Copiando da wikipedia: O eurocentrismo é uma visão de mundo que tende a colocar a Europa como o elemento fundamental na constituição da sociedade moderna, sendo necessariamente a protagonista da história do homem.

Então, eu sou bem assim no mundo da música com BEATLECENTRISMO. Pra mim tudo de bom e inovador no mundo da música é graças aos Beatles e simples assim, e sem mais, e fim de papo e tchau e bença.

beatlecentrismo é uma visão de Paula que tende a colocar osBeatles como o elemento fundamental na constituição da sociedade moderna, sendo necessariamente os protagonistas da história do homem.

Deu pra entender né?

Embora eu ame os Beatles como uma unidade, é inevitável termos nossos favoritos. Eu amo muito o George com seu jeito silencioso, amável e espiritual. Mas vamo abrir o jogo né moçada: o Paul é o verdadeiro gênio do rolê. O Paul é o fenômeno publicitário, criativo, descolado e intelectual da patotinha.

Na minha opinião o Paul é hoje o maior artista e gênio criativo vivo. Eu avisei que eu sou Beatlecentrista, logo, deu pra você desistir de ler lá em cima. Aqui não trabalhamos com imparcialidades.

E porque de todos os dias, logo hoje esse ode ao Sir Paul McCartney? Porque hoje é o aniversário do nosso querido Macca, 76 aninhos muito bem vividos, marcando a vida de milhões de pessoas por todo o mundo!

Eu tenho tanta coisa pra escrever aqui, que acho que vou acabar é não escrevendo nada pra não ficar um texto de 14 páginas. Já li tanto livro, já assisti tanto filme e documentário sobre essa carinha aqui que considero pacas, que olha. É amor demais e dava pra gente ficar um tempão conversando dele.

A primeira música que vou postar dele é nos Beatles. Yesterday é uma música que o Paul sonhou com a melodia, acordou e foi direto pro piano tocar pra não esquecer. Enquanto ele não conseguia pensar em uma letra pra essa melodia ele cantou “Scrambled eggs…Oh my baby how I love your legs…” algo como “Ovos mexidos…Oh meu amor como eu amo suas pernas”  e então ficou com essa melodia travada a essa letra em sua cabeça por tanto tempo, que demorou muito a conseguir compor a letra de Yesterday de fato. Ah, mais uma informação: Yesterday é a música mais regravada no mundo. Sem mais:

Tou suando aqui.  Tou fazendo uma curadoria de muitas músicas que amo desse cara tão maravilhoso, não é fácil. Vou jogar duas inusitadas aqui que eu amo muito, do White Album, que é o meu disco predileto.

Ia colocar Rocky Racoon, mas não achei o áudio original no youtube, e me recuso a num post de homenagem ao Paulie colocar o vídeo com outra pessoa cantando.

Então deixo só Honey Pie, que mostra toda a versatilidade vocal do Macca, fazendo aqui uma homenagem ao Fats Domino e seu estilo de cantar:

Em 2012 (se não me falha a memória) eu tive o privilégio de ver o show desse homem no RJ. E se você é fã de Beatles e nunca foi em um show do Paul, meu amigo, o que você tá esperando? É uma experiência extracorpórea, eu te prometo. Principalmente quando toca essa música aqui:

E essa aqui idem, é só escutar os acordes iniciais dessa música que já me dá um negócio só de lembrar de que um dia fui nesse show:

A primeira música que eu ouvi do Paul fora dos Beatles foi essa aqui embaixo, num disquinho 8 polegadas com ela de single. Emblemático as fuck. Gostei tanto que depois comprei o vinil do maravilhoso RAM que tem ela no lado A. Além de tudo, esse clipe é maravilhoso, mostra uns momentos fofíssimos de Paul&Linda na vida em família:

Pra fechar, vou deixar uma que pra quem é fã de Beatles mesmo, é sempre uma música muito emocionante. Here Today (Aqui hoje), é a música que Paul compôs pro John depois que ele morreu. Ela é tão emocionante, que até o próprio Macca se emociona cantando ela AQUI, já que excedi meu limite de vídeos por post.

Depois desse post eu consegui te converter pro Beatlecentrismo ou pro Mccartneymismo? Espero que sim.

Vida longa ao Macca! Não morre nunca Paul, pelo amor!