Ella Fitzgerald – Sunshine of your love

“Que? Não, pera. Sunshine of your love não é do Cream?” – Sua cabeça, nesse momento.

Sim meu jovem.

Essa música é do Cream. Ou melhor, era.

  • Brinks, a gente zoa, mas a do Cream é boa também. Vamo deixar o Eric Clapton ser feliz sim.

Mas agora escuta a primeira dama da música cantando, e esqueça que algum dia o Cream já cantou Sunshine of your love.

Sério, olha os instrumentos de sopro substituindo a guitarra. É muito bom.

Eu sou tão fã da Ella, que ela só perde pros Beatles na quantidade de discos na minha coleção. Tenho ela ao vivo, em estúdio, cantando Tom Jobim, de dupla com o Louis Armstrong, cantando Porgy&Bess, sucessos da década de 40, de 50, de 60, cantando Beatles. Tem alguma dúvida que cada um desses discos dá um post?

A Ella é na minha opinião uma das maiores performers que já existiu. Ela faz umas improvisações excelentes ao vivo. Conversa com a plateia (normalmente no ritmo da música), troca palavras da letra original, altera melodias, reclama de fatos aleatórios no meio da apresentação, e né, faz covers incríveis de músicas famosas.

Olha ela ao vivo no festival de jazz de Montreal de 1969. Aqui ela tinha 52 anos, aceite:

Quando disse que ela “reclama” no meio das apresentações, é sempre com muita educação, mas eu sempre acho O MÁXIMO. Simplesmente O MÁXIMO MESMO.

Olha ela nessa apresentação de Blue Moon, em que ela canta perfeitamente no ritmo da música:

“Now it´s a pitty / What they ask us to sing/ This request…. And so we try our best… To prove that we are not/ That we are not afraid/ To sing a number 1 hit in the hit parade/ They say “If you can´t beat them, join them” / Ando so we did…and so we did/ But it´s a pitty, to take pretty pretty tune, like Blue moon, and mess up such a pretty tune…like this!”

Traduzindo toscamente:

“Veja só, é uma pena/ Quando eles pedem pra gente cantar/ Essa música… Então nós vamos tentar o nosso melhor… Pra provar que nós não/ Que nós não temos medo / De cantar uma música número no 1 nas paradas de sucesso/ Eles dizem “se você não pode vencê-los, junte-se a eles…” / E assim nós fizemos…/ Mas é uma pena, pegar um som bonito, igual Blue moon, e bagunçar tanto um som tão bonito…desse jeito!”

Tenho em um disco ela cantando My satin doll ao vivo, e no começo ela canta “ O que aconteceu com o meu microfone???? Obrigada!!!” . Eu sempre adoro, mas não achei nenhum vídeo no youtube com essa.

E já que me empolguei e postei a Ella fazendo covers incríveis, pega ela cantando nada menos que Hey Jude dos Beatles (fazendo coração com a mão infinito, até a próxima encarnação)

Provavelmente vou postar mais muitas vezes sobre a Ella Fitzgerald. Já falei que gosto bastante?

Anúncios

Sam&Dave – Hold on, I´m coming

Sentá que lá vem catequese. Hoje a catequese é sobre SOUL.

hahahah, brincadeiras a parte, mas se você não conhece Sam&Dave, esse é o seu momento. Assim como a Aretha, eles começaram cantando em igrejas nos EUA.

Eu conheci essa dupla através de um dos meus filmes favoritos, The Blues Brothers (Os irmãos  cara de pau). A música Soothe me toca logo no comecinho , quando eles são parados pela polícia.

E quando começa a tocar Hold on, I´m comming, é quando eles decidem fugir e começa aquela perseguição histórica dentro do shopping. Eu poderia assistir essa cena mil vezes que eu sempre vou achar o máximo. Desde então, fiquei apaixonada por essas músicas e comecei a pesquisar mais músicas da dupla.

Na verdade, eu gosto tanto de Hold on, I´m comming, que eu e meu marido entramos com ela na festa do nosso casamento, hahaha. 

Reveja a cena dos Blues Brothers, porque sempre vale a pena:

Você achou que tava bom, né?

Isso porque você não viu os caras ao vivo. Esteja preparado para atualizar suas definições de SOUL.

Aliás, nessa música ao vivo, eles fazem uma coisa que eu amo muito em cantores de personalidade de sobra. Inserir no meio da música um diálogo com a plateia, sem que a banda pare de tocar. Sensacional:

Aliás, se você é dos mais observadores, vai perceber que na banda do Sam&Dave está um novinho Donald “The Duck” Don, sem barba e cabelão, igual em Blues Brothers.

image

Pega essa apresentação de uma das músicas mais famosas deles, Soul Man. Sério, olha essa apresentação! Olha as coreografias que máximo.

Embora eles não tem as backing vocals que eu tanto amo, aqui temos um conjunto de metais empenhadíssimo nas coreografias, e é muitoooo legal.

Disclaimer: se você assistir isso sentado, no seu escritório, você vai começar a dançar junto, pelo menos com os ombrinhos. Depois não diga que eu não avisei.

E pra fechar, mesmo que o tumblr não me deixa mais incluir vídeos nesse post, quando você já estiver dançandinho sentado na sua cadeira de escritório, escuta só mais essa aqui. Êta cada música boa dessa dupla.

The Animals – For Miss Caulker

Essa.

Música.

É muito boa.

Sério!

Essa música é muito boa mesmo. Se você até hoje só conhecia The Animals por “The house of the rising sun”, esteja preparado pra se surpreender.

Os caras são muito mais que isso, e nem ouse chama-los de one hit wonders, que eles passam longe disso.

O vocalista da banda, Eric Burdon é muito foda. Depois que os Animals acabaram, ele teve toda uma carreira dedicada ao blues.Se você curte blues, não deixe de procurar.

E falando em blues, esse é o estilão dessa música. Curte esse piano, esse vocal sensacional do Eric, enfim, curte aí:

E já que hoje eu tou tentando me comprometer a não postar duzentas músicas por post, vou postar só mais uma do Animals que eu curto muito mesmo.

Aliás, essa música é sensacional na versão dos Animals, e na versão desse carinha aqui, ninguem menos que o Sam Cooke.Pensando bem, acho que a do Sam Cooke ganha. Escolham seu favorito:

Arctic Monkeys – Hold on we´re going home (Drake cover)

Eu amo muito covers.

Quando eu gosto muito de uma música, a primeira coisa que eu faço é escutar 1 milhão de vezes.

Depois que eu escuto 1 milhão de vezes e decoro tudo que dá pra decorar, eu procuro a versão ao vivo, pra ver a diferente interpretação do artista, fora do estúdio, improvisando, etc.

Certo. Depois disso vem a minha parte predileta, que é procurar covers loucamente.

A princípio eu só pesquisava covers acústicos. Mas agora que no youtube existem todos esses programas maravilhosos de covers com artistas famosos (bbc 1 live lounge, triple j, etc etc), agora tem muito cover bom por aí, o que me deixa bem feliz.

Drake é bom demais.

Arctic Monkeys é bom demais.

Esse cover ficou coisa de outro mundo. Eu amo tanto a intro de bateria do Matt Helders. Na verdade, a bateria toda da música é ON POINT AF. Aproveitando pra fazer uma declaração aos backing vocals dele, como eu amo.

Já que tamo falando de Arctic Monkeys, e dos falsetes do Matt, por que não deixar mais uma? Não é cover de ninguem, é hit deles  mesmo, mas tão maravilhoso. Amo tanto o violão.

Mais um porque né? Essa apresentação do I Wanna Be Yours, eu confesso que eu gosto mais do que a original, de tão linda e intimista que ficou.

Já que esse post se prolongou mais do que deveria, vou voltar ao assunto inicial que era cover. Pega que linda essa versão do Arctic Monkeys pro hit do Tame Impala. O que é esse vocal do Alex Turner aqui? Achei que elevou a música a outro nível, pra ser sincera.

Qual foi seu predileto?

Long live Alex Turner!