Carlos Lyra – Marcha da quarta-feira de cinzas

Feliz ano novo amiguinhos!

Hoje meu pai me passou uma música-medley maravilhosa do Carlos Lyra, que ele diz que fazia muito tempo que tentava encontrar, mas não encontrava de jeito maneira. Mais ou menos igual foi minha saga com Mistério do Planeta.

Fazia muito tempo que eu não ouvia Carlos Lyra, mas nessa música especialmente ele fala muito antes de cantar. E se me permitem, vou fazer um parênteses aqui: Carlos Lyra era um dos melhores amigos de Fernando Sabino, um dos meus escritores favoritos.

A escrita do Fernando Sabino é de contos muito ágeis, perspicazes e divertidos, com tiradas ótimas e inteligentes. E escutar o Carlos Lyra conversando com a platéia ao longo dessa música, me fez sentir estar ouvindo um audiobook do Sabino. Que almas criativas maravilhosas:

Bônus: nesse medley postado acima, Carlos Lyra canta Maria Moita, música que apareceu no último post com a música You Don’t Know Me, do Caetano. Inclusive, me corrigindo que Maria Moita é de Vinicius, e não de Carlos Lyra. Perdão pelo vacilo.

Mas voltando ao Carlos Lyra. Ele é um carioca pequeninho, dono de uma voz que eu acho fascinante. Muito potente e grave, afinação fantástica. Uma voz “larger than life”, porque ao mesmo tempo que ela é versátil e impressiona, parece que você se identifica, e gosta imediatamente.

Hoje é o dia de todo mundo voltar a trabalhar, depois de férias bem gostosinhas. Então trago a linda Marcha de quarta-feira de cinzas, que fala sobre o sentimento melancólico, porem animado com a perspectiva de voltar a trabalhar depois do carnaval.

 

Se você gostou dessa música, pode ouvir também no timbre lindinho da Nara Leão, em uma versão com coro maravilhoso no refrão, curto muito:

Aproveito pra deixar mais um fantástica do Carlos Lyra aqui, uma música que ele mesmo intitula como “minha primeira canção de protesto”. Prestem atenção na letra fantástica:

Olha que belezinha ele se apresentando no Sesc em 2013, com nada menos que 74 aninhos:

Bom ano a todos!

Anúncios

Ornella Vanoni – Senza Paura

O último post por aqui foi do Dean Martin e algumas músicas pra lá de conhecidas italianas.

Confesso que tou com esse tema ecoando na minha cabeça, e hoje trago mais uma música italiana pra vocês. Senza Paura não é tão tradicional, mas é maravilhosa:

Ornella Vanoni é uma cantora muito tradicional italiana, que fez muito sucesso na década de 60 e 70, e em 1976 gravou um album inteiro de bossa nova cantado em italiano com Toquinho e Vinícius, é muito legal se você gosta do gênero:

Se você acha que conhece a música Senza Paura de algum lugar, pode ser da versão original dela, a Sem medo de Toquinho e Vinicius, que é maravilhosa e tem uma letra incrível. Confesso que a cada ano que passa me sinto cada vez mais medrosa em cada tomada de decisão, e é justamente sobre isso que essa música fala, viver cada fase da vida (inclusive a morte) sem medo.

Gostei dessa mensagem (e importante lembrete) pra começar a semana,e vocês?

Baden Powell – Canto de Ossanha

Hoje trago uma música sensacional.

Estou meio sumida por aqui e justifico: é por pura raiva. Recentemente postei 2 posts super legais que simplesmente sumiram, não entendi porque.

Mas a última música que postei e foi apagada foi a dramática e linda A flor e o espinho, e fiz todo um textão por ninguém dar a devida atenção ao Nelson Cavaquinho. Só pra não passar em branco essa indicação sensacional, vou deixa-la aqui.

Hoje trago outra música muito legal, de Baden Powell, Vinícius e Quarteto em Cy. Nesse link do vídeo que vou postar aqui, tem toda uma história descritiva dessa música e álbum, e da parceria do Baden e do Vinicius:

“Eu não sou ninguém de ir, em conversa de esquecer, a tristeza de um amor que passou…”

Agora respeita o Baden Powell dedilhando the fuck off desse violão, ENQUANTO segura um cigarro acesso no mindinho, pqp:

Aqui temos um pout-pourri de algumas canções sensacionais além de Canto de Ossanha, com um time pouco pica no palco: Baden Powell, Miucha, Vinicius de Moraes, Toquinho e Tom Jobim.

Sem mais, eu diria!